Procon Goiás alerta sobre Golpe da Lista Telefônica

Goiânia, 30 de abril e 2021 – O Procon Goiás alerta os empresários, em especial os microempresários e os microempreendedores individuais, sobre o crescimento do número de vítimas do golpe da Lista Telefônica. O antigo golpe se modernizou e segue fazendo vítimas no Estado.

No período entre janeiro e abril deste ano, o órgão registrou uma majoração de 120% nos números registrados no mesmo período no ano passado.

O Superintendente do Procon Goiás, Alex Augusto Vaz Rodrigues, esclarece que as pessoas têm receio de denunciar as empresas e que muitas demoram a entender que foram vítimas de golpistas. “Acredita-se que o número de consumidores prejudicados pela ação dessas empresas seja bem maior”, aponta.

O golpe se dá através de um primeiro contato em que é feito um pedido de atualização dos dados cadastrais com o intuito de renovar os cadastros das empresas em sites de busca ou nas listas telefônicas on-line. Os interlocutores se apresentam como representantes de editoras de listas telefônicas ou empresas de publicidade. Neste momento, o golpista informa que o serviço será gratuito.

Após o envio dos dados, os criminosos enviam um documento por e-mail pedindo para que o funcionário ou o empresário assine, carimbe e reenvie. O documento destaca os dados da empresa, mas, logo abaixo, em letras bem pequenas, aparece o valor do contrato, que geralmente é dividido em 12 vezes.

Depois de encerrado o prazo de arrependimento (7 dias), os golpistas passam a cobrar insistentemente a vítima, apresentando-se como funcionários de cartório. Eles alegam que irão protestar a empresa caso o título não seja pago.

Vale ressaltar que os cartórios de protesto não costumam entrar em contato com as pessoas, tampouco prestam esse serviço de cobrança. Eles possuem a ciência de que os contratos serão cancelados e têm como foco o valor da multa de rescisão contratual que deverá ser paga para a efetivação da anulação do serviço.

Alex Augusto Vaz Rodrigues explica que é preciso redobrar a atenção sempre que assinar um documento. “Encaminhe o contrato para um advogado de confiança e na dúvida, não assine. As pessoas que têm dificuldade em rescindir os contratos devem, após a reunião do maior número provas, registrar a sua demanda junto ao Procon Goiás”, orienta.

As reclamações e denúncias ao órgão podem ser registradas através dos seus canais oficiais de atendimento. São eles: o disque-denúncia 151 (capital), telefone fixo 3201-7124 (interior) e o site proconweb.ssp.go.gov e a plataforma consumidor.gov.

As vítimas deste golpe também deverão entrar em contato com a Polícia Civil e registrar um boletim de ocorrência.

“Caso o consumidor se sinta prejudicado material ou moralmente, ele também poderá ingressar na justiça, por meio de um advogado ou através da Defensoria Pública, solicitando a reparação dos danos”, finaliza o Superintendente do Procon Goiás.

Compartilhar: