Procon Goiás orienta pais sobre matrícula escolar

Lista de material escolar não deve ter produtos de uso coletivo

O período de matrícula escolar está começando. Para muitos pais, começa também a dor de cabeça e muita preocupação na hora da escolha do colégio dos filhos.

O Procon Goiás está de olho nos abusos. Para isso, elaborou uma lista de recomendações para evitar surpresas durante o ano.

Dúvidas ou reclamações podem ser sanadas nos postos de atendimento do Procon e também pelo telefone 151.

 

 

Dicas na hora da matrícula:

  • Visite a escola ainda no período letivo.

  • Observe as condições de higiene e de segurança, assim como o trabalho dos funcionários.

  • Pergunte sobre o funcionamento da cantina, obrigatoriedade de uniforme e de atividades extras e a lista de material didático.

  • A lista do material escolar não deve conter exageros.

  • Materiais de uso coletivo como papel A4, giz, apagador, medicamentos para primeiros socorros, copos descartáveis, papel higiêncio, álcool, algodão, etc, são de reponsabilidade da escola, já que são de uso coletivo.

  • Confira se o serviço de transporte esolar está devidamente registrado na Prefeitura.

  • Se a escola cobrar taxa para reserva de matrícula, o valor deve ser abatido na anuidade/mensalidade.

  • Se a matrícula não for efetivada, a escola deve devolver a taxa, com exceção de despesas administrativas comprovadas.

  • Leia o contrato com calma, se possível em casa. Tudo que for acordado verbalmente deve estar no documento.

  • Procure informações sobre seguro-escola, que garante a continuidade dos estudos em caso de problemas familiares.

  • A anuidade, a proposta de contrato – em linguagem clara – e o número de vagas por sala, devem ser divulgados 45 dias antes da data final para matrículas.

Compartilhar: