Cesta básica: Pesquisa do Procon Goiás aponta aumento de 31% em relação a levantamento de 2020

Comprometimento do salário mínimo com a compra da cesta básica, para apenas 1 indivíduo adulto, chega a 45,43%. Em 2017, o comprometimento era de 37,09%.

Óleo de soja foi o campeão de aumento individual

Valor da cesta básica pode custar de R$ 366,22 R$ 645,44 (76,24%)

Goiânia, 4 de março de 2021 – O preço da cesta básica para o consumo mensal de apenas um indivíduo adulto, de acordo com a quantidade de ingredientes definida para os moradores de Goiânia, pode variar entre R$ 366,22 e R$ 645,44, ou seja, uma variação de até 76,24%. Foi o que apontou a pesquisa realizada pelo Procon Goiás.

A composição da cesta básica de alimentos e suas respectivas quantidades mensais de cada item são definidas pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), conforme previsto no Decreto 399, de 1939, que continua em vigor.

São 13 tipos de produtos que compõem a cesta básica e foram pesquisados pelo Procon Goiás em 15 (quinze) supermercados de Goiânia no período de 18 a 28 de fevereiro de 2021. Ao considerarmos as diferentes marcas pesquisadas, foram analisados os preços de 37 itens.

Pandemia
Vale ressaltar que, diante do cenário de pandemia, os consumidores foram diretamente impactados pela alta generalizada nos preços dos alimentos nos supermercados.

A elevação do dólar foi um fator econômico que fez com que os produtores de alimentos priorizassem a venda para o mercado externo, o que reduziu a oferta de produtos para abastecer o mercado nacional.

Por outro lado, houve uma considerável demanda por alimentos no momento de crise, o que consequentemente causou aumento dos preços.

Cesta básica nacional – Região 1 (Goiânia)

Cesta básica, para apenas 1 indivíduo adulto, compromete 45,43% do salário mínimo

Treze itens compõem a cesta básica e a quantidade/peso de cada produto varia conforme a região e, teoricamente, deveria ser suficiente para o consumo mensal de um indivíduo adulto. No entanto, a cesta básica é apenas uma referência, que mede se o poder de compra do salário mínimo consegue suprir as necessidades alimentares de uma pessoa adulta durante 1 mês.

Valor da Cesta Básica – cidade de Goiânia (para 1 indivíduo adulto)

Alimentos

Região 1

Preço

Padrão

Preço

Menor

Maior

Médio indiv.

Pesquisa

Total Médio

Preço

Preço

Carne (coxão duro)

6,0 kg

R$ 35,53

1 kg

R$ 213,18

R$ 179,40

R$ 251,94

Leite – Piracanjuba

7,5 litros

R$ 3,96

1 litro

R$ 29,70

R$ 26,17

R$ 34,35

Feijão – Barão T1

4,5 kg

R$ 7,64

1 kg

R$ 34,38

R$ 31,45

R$ 39,10

Arroz Tio Jorge

3,0 kg

R$ 23,91

5 kg

R$ 14,35

R$ 12,29

R$ 15,59

Farinha de trigo – Cristal

1,5 kg

R$ 4,07

1 kg

R$ 6,10

R$ 5,02

R$ 7,33

Batata Inglesa

6,0 kg

R$ 3,97

1 kg

R$ 23,82

R$ 10,08

R$ 41,94

Tomate

9,0 kg

R$ 4,36

1 kg

R$ 39,24

R$ 15,12

R$ 71,91

Pão francês

6,0 kg

R$ 11,93

1 kg

R$ 71,58

R$ 35,94

R$ 95,94

Café em pó Ranch 500 g

600 gr

R$ 11,46

500 gr

R$ 13,75

R$ 10,78

R$ 15,94

Frutas (banana maçã)

90 unid

R$ 7,64

1 kg

R$ 30,56

R$ 19,96

R$ 43,96

Açúcar Ibiá

3,0 kg

R$ 13,05

5 kg

R$ 7,83

R$ 7,19

R$ 8,98

Óleo Soya – 900 ml

900 ml

R$ 6,74

900 ml

R$ 6,74

R$ 5,79

R$ 7,98

Manteiga/margarina Doriana

750 gr

R$ 5,69

500 gr

R$ 8,53

R$ 7,03

R$ 10,48

Valor total …………………………………..

R$ 499,76

R$ 366,22

R$ 645,44

Obs.: 90 unidades de bananas, foi substituída por 4 kg em média (simulação na balança)

Para um trabalhador que recebe apenas o salário mínimo (R$ 1.100,00), o comprometimento mensal com a cesta básica (R$ 499,76) é de 45,43%. Em 2017 (4 anos atrás), esse comprometimento era de 37,09%.

Variação de preços chega a 375%

Considerando os preços médios praticados no mesmo período do ano passado aos atuais, a maior variação chegou a 375,60% – preço do quilo do tomate. As maiores variações nos preços de frutas, verduras e legumes se devem às promoções de hortifrúti praticadas em dias diferentes da semana por supermercados e hipermercados, além do volume regular de chuva nesta estação do ano.

Veja as principais variações:

 
 

MENOR

MAIOR

VARIAÇÃO

PRODUTOS

 

PREÇO

PREÇO

%

 

Gramatura

 

 

Carne – Coxão Duro

kg

29,90

41,99

40,43

Leite longa vida integral – Piracanjuba

Cx 1 litro

3,49

4,58

31,23

Feijão carioquinha Tipo 1 – Cristal

1 kg

6,49

8,49

30,82

Arroz longo fino – Tipo 1 – Califórnia

5 kg

20,28

26,99

33,09

Farinha de trigo – Cristal

1 kg

3,35

4,89

45,97

Batata inglesa

kg

1,68

6,99

316,07

Tomate

kg

1,68

7,99

375,60

Pão francês

kg

5,99

15,99

166,94

Café em pó – Três Poderes

500 gr

5,99

8,99

50,08

Banana maçã

kg

4,99

10,99

120,24

Açúcar – Ibiá

5 kg

11,99

14,98

24,94

Óleo – Liza

900 ml

5,59

7,98

42,75

Margarina – Qualy Cremosa

500 gr

4,99

7,69

54,11

Todos os produtos tiveram seus preços comparados, considerando mesma marca e modelo, ou seja, são produtos idênticos.

Aumento médio anual foi de 31,36%

Considerando os preços médios que figuraram no levantamento do ano passado aos de agora, em média o aumento registrado foi de 31,36%. individualmente, houve produto com aumento médio de até 75,03%.

Veja tabela individual de aumento/redução média anual

 

 

PREÇO

PREÇO

VARIAÇÃO

PRODUTOS

 

MÉDIO

MÉDIO

%

 

Gramatura

2020

2021

 

Óleo – Soya

900 ml

3,85

6,74

75,03

Arroz longo fino – Tipo 1 – Califórnia

5 kg

13,82

22,82

65,13

Banana maçã

kg

5,28

7,64

44,64

Carne – Coxão Duro

kg

25,02

35,53

42,02

Açúcar – Ibiá

5 kg

9,51

13,05

37,24

Margarina – Delicia Cremosa

500 gr

4,22

5,26

24,54

Farinha de trigo – Cristal

1 kg

3,33

4,07

22,27

Leite longa vida integral – Piracanjuba

Cx 1 litro

3,37

3,96

17,53

Feijão carioquinha Tipo 1 – Barão

1 kg

6,94

7,64

10,10

Batata inglesa

kg

3,62

3,97

9,79

Pão francês

kg

10,93

11,93

9,18

Tomate

kg

4,70

4,36

-7,33

Café em pó – Rancheiro

500 gr

11,85

11,46

-3,28

Os preços médios do óleo de soja, arroz e carne, registraram aumentos médios de 75,03%, 65,13% e 42,02%, respectivamente. O óleo ficou em primeiro lugar geral, seguido pelo arroz, banana maçã e carne (coxão duro).

Orientações gerais

O Procon Goiás recomenda ao consumidor estabelecer previamente, de acordo com seu orçamento doméstico, quanto poderá gastar na compra em supermercado. Depois, faça uma lista dos produtos a serem adquiridos, iniciando pelos itens essenciais e, em seguida, aqueles que podem ficar de fora, caso seja necessário.

Com a ajuda de uma calculadora, após avaliar preços e marcas diferentes, vá colocando no carrinho e fazendo as contas. Desta forma, após comprar o essencial, saberá quanto ainda poderá gastar com os produtos não essenciais. Essa prática, além de auxiliar na conferência dos preços lançados no caixa, também evitará extrapolar o valor previamente estabelecido.

Dentro do supermercado, faça um roteiro. Isso ajuda a organizar o carrinho e, principalmente, a economizar. Compare os preços dos produtos entre as várias marcas, observando peso ou quantidade, data de fabricação e prazo de validade.

Analise sempre as ofertas do tipo “Leve3 e pague 2”, se realmente são vantajosas e lucrativas. Não adianta levar, por exemplo, mais gelatina ou chá pra casa, se você já os tem em boa quantidade.

Sempre observe o prazo de validade dos produtos para evitar levar alimento ou bebida vencida para casa e arriscar a sua saúde. Rejeite produtos congelados cujas embalagens de papelão estejam com bolhas, manchas ou danificadas. Isso denuncia mercadoria estragada, devido ao manuseio e à flutuação da temperatura.

Também não aceite embalagens que se apresentam com bloquinhos de gelo na superfície e verifique se há sinais de umidade próximo ao freezer, pois isso pode ser um indicativo de que o o equipamento foi desligado ou teve a temperatura reduzida durante a madrugada, o que pode acabar comprometendo a qualidade do produto.

Para acessar o relatório da pesquisa, clique aqui

Para acessar a planilha de preços, clique aqui

Compartilhar: